Dogmas sobre Nossa Senhora

segunda-feira, 26 de julho de 2010


Hoje é dia de São Joaquim e Sant´Ana, pessoas especiais escolhidas por Deus para colocar no mundo aquela que seria a mãe de Deus e nossa.

Então aproveitamos para falar um pouco dos dogmas sobre Nossa Senhora, que são:

1. IMACULADA CONCEIÇÃO

A bem.aventurada Virgem Maria foi preservada de toda mancha do pecado original no primeiro instante de sua Conceição, foi revelada por Deus e deve, por conseguinte, ser crida firmemente e constantemente por todos os fiéis.
(8/12/1854 – Papa Pio IX – Bula .Inefabilis Deus.)

2. ASSUNÇÃO AO CÉU

A Imaculada Mãe de Deus, sempre Virgem Maria, terminado o curso de sua vida terrena, foi elevada à glória celeste em corpo e alma.
(01/11/1950 - Papa Pio XII na Constituição Apostólica .Munificientíssimus Deus)

3. MATERNIDADE DIVINA

Denominada nos Evangelhos "a Mãe de Jesus" (Jo 2,1; 19,25), Maria é aclamada, sob o impulso do Espírito Santo, desde antes do nascimento do seu Filho, como "a Mãe do meu Senhor"(Lc 1, 43). Com efeito, Aquele que ela concebeu do Espírito Santo como homem e que se tornou verdadeiramente seu Filho segundo a carne, não é outro que o Filho eterno do Pai, a segunda Pessoa da Santíssima Trindade. A Igreja confessa que Maria é verdadeiramente Mãe de Deus (Theotókos). (§ 495)

4. VIRGINDADE PERPÉTUA

Desde as primeiras formulações da fé, a Igreja confessou que Jesus foi concebido exclusivamente pelo poder do Espírito Santo no seio da Virgem Maria, afirmando também o aspecto corporal deste evento: Jesus foi concebido - do Espírito Santo, sem sêmen.(Concílio de Latrão, 649). Os Padres vêem na conceição virginal o sinal de que foi verdadeiramente o Filho de Deus que veio a uma humanidade como a nossa.(§496)..O aprofundamento da sua fé na maternidade virginal levou a Igreja a confessar a virgindade real e perpétua de Maria, mesmo no parto do Filho de Deus feito homem. Com efeito o nascimento de Cristo não violou a integridade virginal de sua Mãe (LG,57). A Liturgia da Igreja celebra Maria como a "Aeiparthenos", "sempre Virgem"(LG,52) (§499).

(Fonte)