Despedida de um amigo

sexta-feira, 3 de junho de 2011



Ontem, 02/06/2011, enterrei um grande amigo. Ele tinha apenas 9 (nove)anos de idade mas soube viver cada minuto de sua vida. Ele não guardava rancor; não tinha mágoas; preferia me dar atenção à fazer coisas básicas como comer e ir dormir; sabia como ninguém cativar os corações; todas às manhãs ele falava DEUS para mim de um jeito especial; quando eu chorava, ele chorava; eu sempre via DEUS nele. Chorei muito, sofri muito, eu e a minha esposa Fernanda (que também era a sua amiga).
A sua triste morte, foi inesperada, rápida, cortou meu coração. Eu havia chegado em casa do trabalho às 21:00hs. vi ele, o meu pequeno amigo me esperando, soltei-o de sua coleira para ele sair correndo e pulando pelo quintal como sempre fazia, e quando eu estava trocando a sua água para beber, eu o encontrei caído no chão gemendo. Chamei-o pelo nome, pois ele prontamente sempre me atendeu, mas percebi que ele me escutava (pois balançava o seu rabinho cotó), mas não tinha forças para levantar, chamei a minha esposa, ela já veio ao nosso encontro chorando chamando o nosso amigo pelo nome:"Bambam! bambam!", ele acabou morrendo em nossos braços, fora covartemente envenenado. Um gato da minha mãe também fora envenenado e estava agonizando no mesmo quintal (esse coitado, só foi morrer às 8:00 hs do outro dia). Chorei muito, chorei por perder um amigo, um membro da família, uma criatura de DEUS que era mais gente e tinha mais "alma" do que muita gente. Chorei pelo assassino que não respeita a vida, não respeita DEUS.
minha dor só cessou na 6ª feira (03/06/2011) após ir numa Missa e receber da Eucaristia(nosso refúgio) o alento para o meu coração. No Santíssimo, eu em lágrimas, louvei à Deus por ter criado tão bela criatura.

Obrigado Senhor, por ter nos dado um belo amigo. Amém.

Já fiz postagem sobre ele. Homenageio o criador e essa inesquecível criatura que tanto me mostrou DEUS, com uma música da Simone (eu cantava para ele), que na época, fez para o seu amigo canino.

As perdas por menores que sejam, somente são curadas por oração.

Pequenino Cão

Simone
Composição : Caio Sílvio e Fausto Nilo

É a qualidade das paixões de quem procura
ser maltratando maltratando a criatura
Adormeceu em minha mão, como um menino
Sol sem destino, um pequenino cão.
Se a vida abraça a redenção das amarguras
Você não faça a eternidade na tortura
Entorpecendo o coração a gente espanta
O passarinho por pavor ou medo.
Eu sei que o certo sem sabor é a tua loucura
Eu sei que a côr do teu amor é muito escura
E sem poder te dar à luz, meu coração, eu durmo cedo
E só te peço amor: não me abandone mais.
Quando desperto e vejo na porta da frente
Uma saída, minha vida, noutra vida diferente
E sem poder te dar à luz, meu coração, eu durmo cedo
E só te peço amor: não me abandone mais