A mão de Deus

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Meu testemunho é simples e bonito. Estava eu num encontrão de grupos de oração na Freguesia no ano de 2008, quando percebi que alguém sentado acima de mim, na arquibancada, fazia carinho em minha cabeça. Assustado, olhei para cima e vi que era um rapaz especial (com deficiência mental), ele nada falava, apenas sorria. Para espanto meu, o palestrista naquela ocasião falava de Deus e pedia para que abraçássemos uns aos outros. Ele pediu o meu telefone e desde então criou-se uma amizade. Aquele carinho até hoje não me sai da cabeça (embora atualmente, eu tenha perdido contato com ele), é a mão de Deus (com aquele carinho eu chorava e colocava a minha cabeça em seu colo).
Deus estava o tempo todo presente naquela pessoa especial, ele me ligava, perguntava coisas íntimas como se eu já havia tomado banho, se eu estava feliz e sempre terminava cada ligação falando: "Eu te amo." Só sei que cada vez que desligava o telefone, os meus olhos estavam lagrimejantes, pois percebia que eu era uma pessoa privilegiada por ter uma amizade tão pura e ser amado por Deus.
Hoje, já não tenho a sua presença (Anjo Alcidez) junto a mim, mas tenho a graça de ter outros amigos "especiais" que me transmitem a presença da mão de Deus. Um dia, enquanto eu dava aula de catequese para adultos, um desses amigos especiais me falou: "mas... eu não tenho pecado." Eu ri e chorei emocionado por dentro, pois ele como meu catequisando tinha o coração mais puro do que o meu, o seu catequista.
Ontem, fui novamente ao encontrão e vi que a mão de Deus estava novamente presente através de um rapazinho especial: Tão magrinho, tão pequeno, mas tão grande por dentro. Ele me olhou e o seu olhar me disse: "Te amo."
Obrigado Senhor.